Quando um relacionamento acaba outro pode começar

O relacionamento com você mesma

Começar a se amar quando alguém deixa de fazê-lo pode parecer a reação mais improvável com o fim de um relacionamento, mas a leitora Juliana provou o contrário. Após concluir os #100diasdeamorproprio ela enviou este depoimento lindo sobre a experiência dela.

Com vocês, a Juliana:

amor-próprio #100diasdeamorproprio

Não é um fim, mas sim o início.

O ano de 2014 foi bem difícil pra mim, um ano que trouxe muitas reviravoltas na minha vida, que me exigiu uma enorme superação. Chegando ao fim dos #100diasdeamorproprio, junto com o fim do ano, passa uma retrospectiva na minha cabeça: comecei o ano com tantas certezas e logo no primeiro semestre todas elas se desfizeram (sem emprego, sem casa e com um coração partido). Fiquei um bom tempo perdida sem saber o que fazer, sem vontade nenhuma, quase me entregando à depressão, mas depois de toda tempestade sempre vem a calmaria.

Aprendi que nessa vida não temos certeza de nada, mas temos que estar preparados para o que vier. Comecei a me descobrir e decidir o queria pra minha vida quando li o livro da psicóloga Lourdes Possato, minha vida nunca mais foi a mesma e decidi que nunca mais será. No meio dessa jornada de autoconhecimento, já tendo mudado algumas coisas na minha vida, conheci o blog onde encarei este desafio dos #100diasdeamorproprio.

Sempre tive problemas em começar e não terminar as coisas, desistir pelo meio do caminho, e essa é uma das grandes mudanças que quero pra minha vida, ir até o fim dos meus projetos.

Estou muito feliz em concluir esta etapa de aprendizado, porém ele não termina aqui, vou levar isso pra vida toda. Agradecer a todos que me incentivaram e apoiaram, aos que riram, criticaram ou fizeram piada também, pois tudo me motivou a não desistir.

O amor-próprio vai muito além do que a maioria das pessoas acham que sabem, neste tempo pude aprender um pouco também. Hoje sei que amor-próprio não é simplesmente dizer que não me importo com o que os outros dizem de mim mesmo que aquilo me incomode, mas sim saber que sou uma pessoa com qualidades e defeitos.

Não sou perfeita e preciso me aceitar como sou e não fingir ser um outro alguém. Pessoas vão se aproximar de mim pelo que sou e outras se afastarão pelos mesmos motivos, o importante e eu estar bem comigo mesmo que os outros não aprovem.

Hoje sei que amor-próprio não é dizer não ao amor, me fechar, dizer que quem se entrega ao amor de outra pessoa é porque não tem amor-próprio.

Não, amar é a coisa mais linda desse mundo, e mesmo tendo sofrido algumas vezes, não quero deixar de acreditar no amor, apenas aprender que antes de amar outra pessoa preciso me amar.

Tudo na vida tem 50% de chance de dar certo ou errado e hoje sei que amor-próprio não é desejar loucamente o corpo dos meus sonhos, fazer dietas mirabolantes, tomar remédios que se dizem milagrosos, nem deixar de fazer isso ou aquilo e adiar minha vida pois não estou com o corpo que desejo. Eu sei que devo sim cuidar cada dia dele, não abrir mão de nada, mas não abusar também e fazer uma reeducação alimentar. Este ano eu descobri duas novas paixões que vão me auxiliar em longo prazo na minha nova escolha de vida saudável, que é a corrida e a trilha, dois esportes que estou amando descobrir.

O que desejo para 2015? Primeiro deixar as promessas de lado, porque a vida é uma caixinha de surpresas. Hoje eu quero uma coisa, amanhã outra, não quero me prender a nada. Estou amando minha nova fase de liberdade física e mental e quero começar o ano assim, mais leve, sem grandes expectativas ou cobranças.

O amor-próprio é como uma planta, precisamos regá-lo todos os dias para que ele não morra, e este será meu maior desafio para 2015, colocar em prática todo aprendizado que os #100diasdeamorproprio me trouxeram.

Obrigada @brigadeirodealface por me fazer enxergar o amor-próprio que eu achava estar perdido em mim, por me fazer voltar a acreditar em mim mesma. Guardarei cada conselho pra sempre, indicarei outros amigos a fazer e se preciso for, farei novamente. Feliz 2015 para todas nós que aprendemos que o maior amor do mundo é o amor-próprio!

Juliana Schneider Mesquita 

@jsmesquita

Obrigada Juliana e parabéns pela sua trajetória de autoconhecimento. Este ano promete!