Por que achamos que temos que ser magra para ser feliz?

Ser magra está na moda e há diversas razões para isso que eu vou debatendo no blog. Querer ser magra é muito mais do que um conceito estético, é o desejo de alcançar tudo o que a ideia de magreza tem nos vendido nas últimas décadas. 

A mídia tem um papel fundamental na percepção que temos sobre nós mesmas. Infelizmente, a representação midiática do corpo feminino é distorcida, objetificada e irreal, e todos somos afetados por isso. Mas a explicação é simples:

A mídia sobrevive dos anúncios publicitários e a publicidade sobrevive da nossa procura pela felicidade.

Se a mídia nos convence que é preciso ser de determinada forma para ser feliz, a publicidade tem como usar este espaço para nos oferecer o que falta para que possamos alcançar a tão sonhada felicidade. 

Ao adquirirmos o produto ou serviço que promete nos deixar como as mulheres que vemos na mídia, estamos comprando a ideia de que seremos felizes. 

O ideal seria se todos saíssemos satisfeitos ao final do ciclo, mas não é isso que acontece. Não há produto no mercado que deixe toda a população do mundo loira, rica, magra, com a pele dourada, sem manchas, torneada, jovem, alta, sexy, feminina, delicada, sensual, com cabelos longos e volumosos, cheirosa, depilada e perfeita.  Então continuamos consumindo dietas, produtos e tratamentos que nos deixem mais próximas do ideal da felicidade feminina.

A mídia desconsidera que é possível ser feliz sendo como você é.

Você nunca será boa o suficiente ou magra o suficiente se continuar procurando validação nas pessoas que você vê na mídia. 

É que se você estivesse satisfeita com a sua aparência, não haveria razão para consumir muitos dos produtos e serviços que geram bilhões para a indústria do emagrecimento e beleza.

A maneira mais simples de nos libertar disso ou, pelo menos, de sermos menos afetadas por esses ideais é estarmos conscientes de como tudo a nossa volta tenta nos convencer de que ser magra é bom e todas as outras variáveis são ruins. 

Se estiver interessada em saber mais, leia o post sobre a romantização da magreza e o como a mídia trata o corpo feminino.