O que é comer emocional?

No último post eu falei sobre uma das razões por que continuamos engordando, e hoje quero compartilhar a visão de uma pesquisadora maravilhosa holandesa que dedica a sua carreira a estudar o comportamento alimentar. O nome dela é Tatjana van Strien e alguns dos artigos que ela publica é sobre o comer emocional. Eu já havia publicado alguns posts com estudos sobre comer emocionalmente, se você perdeu dá uma olhada aqui.

Mesmo acreditando que ninguém precisa ter um determinado peso para ser saudável não ignoro o fato de que a obesidade pode trazer consigo complicações à saúde. Parece que por mais que tentemos emagrecer sempre vai ter algo nos tentando fazer engordar. Para a Tatjana, ao invés de focar em tratamentos e dietas contra o sintoma (ser gordo) deveríamos prestar atenção na causa, na razão pela qual alguém ficou gordo.

Levando isso em consideração, o comer emocional parece ser uma causa importante de excesso e aumento de peso. Os comedores emocionais comem demais como uma reação aos sentimentos desagradáveis. De acordo com a pesquisadora

isso é porque os comedores emocionais confundem os estímulos fisiológicos provenientes de emoções negativas com estímulos de fome. Uma dieta é contraproducente para comedores emocionais: o inevitável fracasso de uma dieta só os ajuda a se afundar ainda mais.

Para por aqui e volta a ler o que ela disse acima.

Será que precisamos de mais razões para entender que dieta não é a resposta?

Mas isso não é tudo, a Tatjana van Strien também cita que o aumento da obesidade ocorreu junto ao aumento da ansiedade, e que isso não é pura coincidência. O comer emocional seria o que conecta a ansiedade à obesidade.

A nova realidade de divórcios e pais que precisam passar o dia trabalhando teria resultado em apego inseguro, isso é, o vínculo que a criança tem com os pais que quando instável pode resultar em ansiedade. Sem contar com o medo de perder o emprego, a pressão em ter e alcançar sempre mais, o consumo de informações e de bens que nos deixam mais ansiosos, e tudo isso nos fazendo comer emocionalmente.

Já deu para ver que tudo isso faz sentido, mas há ainda muitas perguntas em aberto que esperam serem respondidas logo. Eu continuarei na busca.