O primeiro passo para aprender a comer - Diário Alimentar

#1 Diário Alimentar

A partir de hoje vou postar em sequência cronológica o que você pode fazer para aprender a comer, ou melhor, para relembrar o que você já nasceu sabendo.

Mudar a maneira como você lida com o alimento é uma conquista enorme e um exemplo que tem muito a ensinar em todas as áreas da sua vida. Parece exagero, mas a mudança da nossa relação com a comida é mais transformadora que o emagrecimento.

Entenda uma coisa - tudo começa pela maneira como você vê e sente o alimento, querer emagrecer ou querer se sentir cheio de vida e energia é consequência disso.

Isto inclui você que não aguenta mais ficar obcecado pelo que vai comer ou não, você que se incomoda com a barriga macia e volumosa, você que come demais depois de um dia cansativo no trabalho ou você que não quer mais comer compulsivamente.

Para todos, mudar o relacionamento com a comida é a chave para transformação.

O primeiro passo para essa transformação é estar consciente de quando, onde e por que você come. Em quais circunstâncias isso acontece, como você se sente, o que pensa, o que você escolhe comer. E para criar essa consciência a maneira mais eficaz é através de um diário alimentar. Não há nada mais poderoso do que colocar no papel o que você come.

Parar cinco ou dez minutos no dia para anotar o que você come torna  te leva a entender quais circunstâncias facilitam ou dificultam você a se alimentar de maneira alinhada à seus objetivos.   te levando a entender que aquele alimento foi uma escolha motivada por diferentes circunstâncias que facilitam o dificultam você a escolher alinhado aos seus objetivos.

Menos é mais

Comece simples com um caderninho de anotações e com o mínimo de informações necessárias para tirar as suas próprias conclusões sobre o seu padrão alimentar. Aqui menos é mais, não precisa complicar agora.

Diário alimentar não é contar calorias

O objetivo não é controlar o que você come, mas entender como e por que você come. Não tem nenhum julgamento ligado ao diário. Não tem certo ou errado, muito ou pouco. Apenas anote o que e quanto você comeu, mesmo se tivesse vergonha de revelar isso a alguém. Pode mentir para todo mundo, só não vale mentir para você mesmo, combinado?

Como funciona

Reserve uma página por dia. Nela, anote a refeição (café da manhã, almoço, jantar, lanche, etc.), horário, local, alimentos ingeridos e quantidade; escreva se estava ou não com fome física, e qual sentimento/pensamento estava envolvido naquele momento.

Se não souber identificar a sua fome, dê uma lida no post sobre a diferença entre fome física e emocional.

Leia o seu diário alimentar

Leia as suas anotações a cada duas semanas para identificar padrões de comportamento que estão te levando a comer quando você não precisa, ou te levando a deixar de comer quando você deveria estar comendo.

. . .

Eu até hoje tenho um diário alimentar que me ajuda demais a entender como meu corpo e cérebro foi funcionam, mas ouvi de muitas leitores que anotar o que elas comiam as faziam se sentir ansiosas e a comer ainda mais ou parar de comer completamente. A minha sugestão é tentar. Tente pelo menos por duas semanas antes de tirar as suas conclusões.

Sabe aquelas vezes que você se pergunta desesperançosa por que só com você não dá certo, por que você não tem disciplina? Então, a resposta a isso tudo está dentro de você e o diário é o que vai te ajudar a materializar a sua resposta, por isso pode bater uma ansiedade. Tem respostas que muitas vezes não queremos ouvir, mas esta pode ser a sua chave para a liberdade alimentar.