Devo ou não comer quando bate a vontade?

Comer de maneira equilibrada é um sonho para muita gente. Se de um lado está crescendo o número de dietas e filosofias alimentares, de outro estamos nós lutando por um mundo mais sano em relação à alimentação em que pãozinho com manteiga é aceito.

Quero emagrecer

Para quem segue um plano ou dieta alimentar a liberdade de escolha é retirada da equação e isso até dá um certo alívio para muitas pessoas porque fica claro o que comer e o que não comer. Se você segue a dieta está fazendo algo certo e quando não está fazendo algo errado. É simples assim.

Mas com o equilíbrio a história é outra, o equilíbrio não julga.

Para ele tanto faz se você vai comer brigadeiro ou maçã, o que conta é como você se sente ao fazer a escolha e depois de ter comido. É assim que medimos se estamos comendo de maneira equilibrada ou não. É um processo.

Então vamos imaginar uma situação em que você queira emagrecer ou se alimentar de maneira mais saudável mas a vontade de um brigadeiro de panela te faz aguar a sua boca. Você não tem certeza se isso é uma escolha alinhada a comer mais saudável ou não.

Num momento como esse a nossa cabeça passa por uma tempestade de pensamentos até que a decisão seja tomada:

“Eu não posso comer o brigadeiro porque quero muito não é saudável”

“Mas eu não consigo ficar o resto da vida sem nunca mais comer brigadeiro, não é realista”

“Não, eu não vou comer porque ter saúde é mais importante para mim do que este brigadeiro”

“Mas eu mereço comer porque tenho me alimentado tão certinho”

“E também não tem nada demais comer brigadeiro, faz parte da vida”.

“Dane-se, neste momento o brigadeiro é mais importante do que todo o resto”

“Por que eu não posso comer brigadeiro como uma pessoa normal? O mundo é tão injusto”

Essa discussão interna acontece em segundos ou pode levar uma tarde inteira, mas a certeza é que pelo menos um desses argumentos vai vencer, mas como saber qual? Como saber se devemos ou não comer se não há regra definida para estar em equilíbrio? 

Parece simplista escrever aqui para você ouvir o seu corpo porque naquele momento o seu corpo está pedindo brigadeiro, mas por incrível que pareça quanto mais o ouvimos mais o entendemos.

A mágica da alimentação equilibrada é que ela não é preto ou branco, certo ou errado. É uma linha cinza que você vai segue dançando conforme a música.

Uma linha em que você começa a confiar no seu corpo aos poucos, em que você cria as suas próprias regras ou decide não criá-las, porque você é o dono da sua alimentação.

Logo, a resposta se você deve ou não comer só pode ser respondida por você. Em alguns casos, é claro, essa decisão é tomada por um profissional quando a nossa saúde física ou mental está em risco. 

Se a decisão é  fazer o brigadeiro de panela e comer todinho em uma sentada, honre-a. Se a decisão for adiar o brigadeiro para um outro dia, honre-a. Às vezes, o brigadeiro de panela é o que você precisa para evitar ter um episódio enorme de compulsão alimentar. Às vezes, dizer não e ir para a cama é o maior ato de amor que você pode se dar.

No próximo post eu conto como eu tomo essa decisão. Não é o caminho certo ou o caminho errado, é apenas o meu caminho e cada um tem o seu.