Comer, viajar e amar

Como comer normalmente durante as viagens

Como vocês já devem estar sabendo, eu passei alguns dias em Porto para comemorar o aniversário do Matt e cá estou de volta ao trabalho e ao blog. Depois de uma viagem relaxante, eu achei interessante dividir com vocês como foi a minha experiência com a alimentação naquela terra abençoada com pratos maravilhosos e com as sobremesas mais incríveis. Ah, Portugal! Obrigada pela sua culinária maravilhosa e pelo vinho que nunca me desaponta.

Régua, douro

Régua, douro

Depois de dividir dezenas de capítulos sobre as minhas aventuras e desaventuras com a comida, algumas de vocês comentaram sobre o livro Pense Magro da Judith Beck. Pelo que eu ouvi de algumas, esse foi um livro que ajudou muita gente a emagrecer e a lidar melhor com a vontade de comer. É claro que eu tinha que conferir com meus próprios olhos se o livro era tudo isso mesmo. Pois bem, eu ainda estou lendo mas quando tiver realizado todos os exercícios eu volto aqui para contar o que eu achei.

A razão para eu citar o livro neste post é porque um dos capítulos é sobre viagem, ou melhor dizendo, sobre como sobreviver a ela sem deixar de aproveitar e sem se sentir mal por ter comido demais.

Mercado do bolhão

Mercado do bolhão

Olha, mãos ao alto para esse capítulo em especial, ele funcionou mesmo. Eu combinei as estratégias do livro com algumas minhas e deu muito certo. É por isso que eu resolvi dividir isso com vocês. Quem sabe a sua próxima viagem também não seja tranquila seguindo este passo-a-passo.

Para começar, sejamos sinceras: uma das alegrias da viagem é a comida local. Só a ideia de ficar comendo frango com salada e batata doce já me irrita profundamente. Eu quero sentir o cheiro dos temperos, provar doces diferentes, frutas e bebidas. Não tenho talento nenhum para seguir um plano alimentar quando estou em estado de relaxamento, todo respeito àquelas que conseguem. Eu sou mais do tipo que quero comer tudo o que vejo pela frente, principalmente quando o café da manhã é incluso no hotel ou pousada, mas vou citar isso mais a diante.

Então para quem está curiosa em saber o que eu fiz dessa vez, aqui está o passo-a-passo:

yes, we love to eat

yes, we love to eat

 

Antes da viagem

 

  1. Crie a sua estratégia de viagem

Quando vamos viajar, algumas de nós vão sem planejamento algum enquanto outras preferem organizar detalhadamente a programação. Nos dois casos, são poucas aquelas que se planejam emocionalmente para comer e beber antes de embarcar.

É verdade que muita gente não precisa se preocupar com o que vai comer ou deixar de comer, porque isso é algo que ocorre naturalmente. Mas até que esse seja o seu caso, não subestime o seu apetite. Prepare-se emocionalmente para lidar com ele.

Quando viajamos, comemos mais do que o normal porque estamos constantemente em estado de comemoração ou relaxamento. Não fica difícil entender porque combinar viagem  com um planejamento restrito de alimentação não funciona muito bem para a grande maioria das pessoas que pretendem emagrecer, manter o peso ou simplesmente comer normalmente. E o resultado todo mundo sabe - ganho de peso indesejado ou inesperado.

É por isso que o livro sugere que você crie uma estratégia do que pretende comer ou beber e até de quantos quilos você pretende engordar. Eu também fiquei surpresa quando li isso, mas confesso que dá um alívio enorme quando você já espera que vai haver ganho de peso. Para te dar uma ideia, esta foi a minha estratégia:

  • Comer bem nas três refeições principais.

  • Comer frutas entre as refeições.

  • Consumir doces apenas uma vez ao dia (café da manhã, junto ao cafézinho à tarde ou depois do jantar).

  • Consumir apenas uma taça de vinho/cerveja por dia.

  • Sempre sentar para comer.

  • Comer devagar e prestando atenção no momento.

  • Parar de comer quando estiver satisfeita.

  • Não encanar com a possibilidade de engordar. Permissão para engordar um quilo em quatro dias (duração da viagem).

É claro que a estrátégia será diferente para cada pessoa. Para mim, o mais importante foi focar em consumir doces apenas uma vez ao dia. Funcionou perfeitamente. E o fato de ter aceitado que haveria ganho de peso deu um ar todo leve aos meus dias no Porto.

Segundo o livro, você deve escrever a sua estratégia e começar a ler diariamente uma semana antes de viajar. Pode parecer muito esforço, mas valeu a pena cada minuto do meu tempo investido.
 

Cais da ribeira

Cais da ribeira

 

Durante a viagem

 

1. Leia a sua estratégia de viagem duas vezes ao dia.

Você montou a sua estratégia, mas agora é hora de colocar em prática. Leia a sua estratégia ao acordar e ao ir para a cama para relembrar todos os dias que você pode aproveitar o seu merecido descanso sem sentir nenhum remorso.

2. Recuse alimentos mais ou menos saborosos.

Viagem é para se esbaldar mesmo, então quando for comer, coma algo DELICIOSO. Não aceite mais ou menos gostoso ou bom. Exija uma explosão de sabor na sua boca. Se você provar e não for espetacular, dê para alguém ou jogue fora. Você merece o alimento mais saboroso disponível no mercado, não se contente com menos.

3. Entenda o conceito de café da manhã incluso

Quando ficamos hospedadas com café da manhã incluso já nos sentimos na obrigação de comer tudo o que é oferecido no buffet para fazer o nosso dinheiro valer a pena. A sensação é aquela mesma que sentimos quando vamos ao rodízio - temos que comer tudo.

A questão é que ninguém faz o dinheiro valer a pena ao comer até se sentir estufada, muito menos quando chega em casa e tem que lidar com o fato a calça que estava usando no começo da viagem já não serve mais.

Se o café da manhã é incluso, ótimo. Faça uma seleção dos alimentos que você mais gosta e deixe o restante para um outro dia. O importante não é o quanto você vai comer, mas a qualidade do que você vai comer. E com qualidade não me refiro a alimentos necessariamente saudáveis. Coma o que quiser, mas coma até se sentir satisfeita.

4. Carregue comida e água com você

Como a minha estratégia era comer bem nas refeições principais e me alimentar com frutas entre elas, pela manhã eu já saía do hotel com as minhas frutas do dia ou dava um jeito de passar no mercado local para reabastecer o meu estoque.

A garrafinha de água, além de fundamental para hidratar durante as longas caminhadas, é a melhor aliada para nos ajudar a diferenciar sede de fome, além de dar aquela ajudinha básica para que o intestino não nos deixe na mão.

5. Explore o lugar a pé ou de bicicleta

Use o seu corpo para explorar o local. Movimentar o corpo não é apenas uma ótima maneira de se manter saudável, mas também a garantia de que você vai se sentir bem e disposta o dia inteiro.

Livraria Lello & Irmão

Livraria Lello & Irmão

Aproveite a viagem

A qualidade de uma viagem não pode ser medida pela de quantidade de comida que você ingeriu nela, mas sim pelas experiências que você vivenciou. Não é preciso se privar das gostosuras nem tomar medidas extremas para compensar as comilanças. Viagem é para se comer bem mesmo, mas comer bem não é necessariamente comer muito.