Comida é como amor de mãe

Confidente, previsível e segura

O dia das mães está chegando e infelizmente não vou poder estar pertinho da minha para desejá-la um dia maravilhoso. Pois é, não dá para ter tudo nessa vida, mas se tem algo que eu aprendi nos últimos anos é que toda escolha significa também uma perda, e a minha é de ter que lidar com a saudade.

Mãe é um ser incrível mesmo. Ela é o nosso porto seguro quando algo não vai bem na nossa vida e, ao lado dela, sempre encontramos compreensão, amor e paciência para seguirmos em frente. Mãe tem o poder de acalmar tudo, de mostrar um outro lado da história e de acabar com a dor e a incerteza que sentimos.

Mas a nossa mãe não é a única que pode oferecer esse tipo de relação e amor incondicional que tanto necessitamos, a comida também pode fazer isso por nós. A comida, para muitas pessoas, não é apenas um objeto de consumo ou algo que alivia a dor temporariamente, é uma relação afetiva intensa como qualquer outra, com altos e baixos.

A relação com o alimento pode chegar a ser mais importante do que a relação entre duas pessoas, porque diferente de nós, o alimento nunca julga, nunca condena. A comida é algo que você pode recorrer num momento de desespero com a certeza de que aquela aflição vai passar sem que nenhuma palavra precise ser dita. Não é sem motivo que eu digo que a comida é como amor de mãe - o mais puro e sincero amor.

A maioria das pessoas que comem em excesso ou compulsivamente, o fazem porque o ato de comer foi transformado em uma relação tão importante e fundamental quanto aquela que temos com um ente querido. Querendo ou não, nós sabemos que sempre podemos contar com a comida para tudo. Ela é a nossa confidente, o nosso consolo, o ombro amigo que está ali só para nos escutar. O conforto de mastigar algo delicioso num momento de estresse pode ser mais revitalizante do que uma noite bem dormida, e o prazer de deliciar bombons importados pode ser mais prazeroso do que uma experiência sexual. Mas por quê? Por que não conseguimos controlar o que queremos comer?

A resposta é bem simples.

Quando comer vira um problema, é porque a comida passou a desempenhar um papel maior do que o de combustível necessário para a nossa sobrevivência. Ela representa conexão, intimidade e confiança, e tentar eliminá-la é como tentar eliminar completamente o contato com alguém importante na sua vida, como a sua mãe, um amigo ou o parceiro. Você se sente perdida, insegura, ansiosa e sozinha.

É impossível lutar contra uma relação tão profunda quanto a relação com a comida. Como todas as relações, essa também necessita de cuidados e de entendimento. Para começar, esqueça a ideia de que você precisa ser concertada ou corrigida. A sua fome também não precisa ser controlada nem medida.

A conexão com o alimento deve ser gradativamente substituída por uma relação tão intensa e íntima como essa - a relação que você tem consigo e com aqueles que você confia. E isso exige tempo e amor, um amor tão puro e incondicional quanto o amor de mãe.