Comer demais é um caminho para se conhecer melhor

Se você está por aqui lendo este post provavelmente a alimentação é uma área da sua vida que você gostaria de melhorar. Talvez você queira emagrecer, talvez só queira parar de comer tanto em determinadas situações ou talvez você sonhe com o dia em que não passe horas pensando em comida. Qualquer que seja o seu desejo, hoje tenho algo muito positivo para dividir.

Ter uma relação problemática com a comida não é fácil, você se sente fraco, desmotivado, sem autoconfiança depois de cair e levantar e voltar a cair de novo. Eu sei. Por outro lado, é essa relaçãozinha complicada que nos ensina diariamente quem somos, o que queremos e quem almejamos ser.

É aquela comilança tarde da noite que te indica que você está cansado e precisa dormir. É o final de semana em casa recheado de delícias em acesso que te mostra a necessidade de incluir mais atividades que tragam prazer à sua vida. É a caixa de bombons no escritório que te relembra de fazer aquela ligação que você anda ignorando. São as idas à cozinha escondida que sinalizam que você precisa conversar com o seu marido sobre a última briga.

A gente não apenas come por comer quando não está com fome, nós estamos em busca de algo.

Na maioria das vezes tem um sentimento que nos levou ao chocolate, uma necessidade de algo que nos fará sentir melhor. E é aí que está o caminho para o autoconhecimento.

Quando começamos a entender o porquê comemos, começamos a entender quem somos, do que gostamos, do que precisamos. Começamos a entender quais são os nossos limites, as nossas necessidades, e assim crescemos.

Hoje sei que se não tiver um evento social no final de semana vou assar um bolo e comer a metade dele porque estou em busca de prazer. O excesso de doces me ensinou a dizer não para eventos ou pessoas que eu não quero encontrar, para coisas que eu não quero fazer. Os episódios de compulsão alimentar me ensinaram que preciso me amar e me aceitar como sou para não me punir com comida.

Use essa relação que você tem com o alimento para começar a se entender melhor. Preste atenção nisso, mantenha um diário alimentar onde você escreve o que comeu e o que estava sentindo ou pensando.

No começo do meu diário eu nem sabia o que estava sentindo, foi só com o passar das semanas e meses que comecei a identificar as minhas emoções e o meu padrão alimentar em resposta a essas emoções.

Dê-se essa chance de se conhecer melhor usando o que muitas vezes você quer eliminar completamente da sua vida - os excessos alimentares.