2014 - O ano da autoestima

Este ano será um tratado de paz com o corpo, com as emoções e com a comida.

Eu nem acredito que já é 2014. Todo começo de ano eu sinto aquele comichão na barriga de excitação e alegria em estar começando um novo ciclo. Eu não consigo evitar de fazer planos para o ano inteiro desordenados e espalhados nas folhas do meu caderninho de anotações. Estou aqui já há uma semana tentando arrumar tempo e coragem para organizar as promessas ambiciosas para 2014, mas até agora nada. Ainda tenho esperança de que em algum ano eu vou conseguir fazer isto certo - escrever ordenadamente o que eu quero, e ler tudo no final do ano para ver o que foi e o que não foi realizado.

Mas independente de qualquer lista, eu decidi que 2014 será o ano da alta autoestima. E tudo o que eu fizer deverá estar alinhado à premissa de amor próprio, respeito ao meu corpo e enorme consideração à minha integridade física e mental. Eu visualizo um ano em que terei mais contato e mais tempo comigo. Um ano em que continuarei lutando contra padrões irrealistas e contra a ideia de que beleza é sinônimo de sucesso ou felicidade.

E para começar o ano bem, aqui vão algumas fotos da militante, feminista, blogueira, fotógrafa e modelo plus size Jes, mais conhecida como Militant Baker, que começou o projeto Body Image(s) em 2012, fotografando mulheres reais. O objetivo do projeto é mostrar os vários tamanhos, formas e tons de beleza.

Crédito: Jes, Body Image(s) project.

Este ano eu estou decidida a não reclamar das partes do meu corpo que eu não aprovo. Não vou falar às minhas amigas o quanto estou insatisfeita com os quilos a mais, ou sobre dietas, ou sobre tudo o que eu odeio em mim. Não vou pensar na minha barriga durante o sexo, ou na celulite aparente nas minhas coxas. Eu vou correr, dançar e me exercitar por prazer e não por punição. Eu aceito todas as marcas que a vida me deu espalhadas pela minha pele, e vou tratá-las carinhosamente. Vou fazer de cada banho um culto ao meu corpo e às minhas formas, massageando, olhando e agradecendo a experiência de estar viva. Vou me hidratar, me cuidar, me mimar e deixar claro o quanto eu sou linda e forte e única.

Crédito: Jes, Body Image(s) project.

Crédito: Jes, Body Image(s) project.

Eu vou dizer não ao culto de ódio ao corpo, e vou lutar todos os dias contra isso. Eu não vou parar de comer quando ainda estiver com fome, e não vou continuar comendo quando estiver satisfeita. Eu vou nutrir o meu corpo com alimentos saudáveis e cuidadosamente preparados. Eu vou colocar mais amor na cozinha e na mesa, e saciar a minha fome de aventura, troca e atenção. Eu vou comer muita salada, azeite, frutas e amêndoas, porque o meu corpo e o meu paladar amam isso. Eu vou comer pão, carne, chocolate e batata frita, porque eu amo e porque equilibrio funciona melhor do que restrição. Eu me declaro livre para escolher o que e quando comer. Eu me desafio este ano a confiar que o meu corpo mesmo é capaz de regular o quanto de comida eu preciso, sem instruções, sem dieta, sem exageros.

Crédito: Jes, Body Image(s) project.

Crédito: Jes, Body Image(s) project.

Este ano vai ser silencioso, com muita meditação, momentos de espiritualidade e contato comigo mesma e com a natureza. Eu almejo uma mente tranquila e um coração aberto a todas as emoções, que aceita o fato de que a alegria só existe porque há tristeza. Eu abraço a incerteza, a ansiedade, o medo e a vergonha como partes da minha existência. Eu vou falar o que eu penso e sinto, sempre. Vou tratar o meu tempo como o bem mais valioso e vou gastá-lo cuidadosamente trabalhando com projetos alinhados aos meus valores.

Crédito: Jes, Body Image(s) project.

Crédito: Jes, Body Image(s) project.

O ano de 2014 é o ano da autoestima. É o ano da mulher que acredita que o amor verdadeiro virá quando ela tiver coxas menores. É o ano da executiva que mesmo chegando ao topo, ainda tem que se preocupar em ser bela. É o ano da mulher que não tem mais coragem de se olhar nua no espelho. É o ano da adolescente que chora ao ir para cama por estar aprisionada em um corpo que odeia. É o ano da recém-mãe que passa a noite acordada cuidando do filho, e o dia tentando perder os quilos e as marcas deixadas pela gravidez. É o ano da menina que evita ver as amigas porque engordou demais nas férias. É o ano da mulher madura e grisalha, que tenta redescobrir a sua sexualidade numa sociedade obcecada com a juventude.

Eu espero que 2014 seja um ano mais gentil com as mulheres. Mas o mais importante: eu espero que em 2014 você seja mais gentil com você mesma.

 

Crédito: Jes, Body Image(s) project.

Crédito: Jes, Body Image(s) project.